Projeto NAGI

O LGI coordena a rede de entidades que desenvolve o projeto NAGI (Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação), financiado pela FINEP no âmbito do Programa Nacional de Sensibilização e Mobilização para Inovação (Pró-Inova) e da Mobilização Empresarial para a Inovação (MEI).

O projeto visa a capacitar e apoiar empresas na introdução ou no aprimoramento do sistema de gestão da inovação e insere-se no esforço do país para aumentar a competitividade das empresas brasileiras através de maior inovação.  A meta é o atendimento de 80 empresas, sem setor ou região predefinida. Os parceiros iniciais são a Coppe-UFRJ, UFPE, Unisinos, ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), Abihpec, Fundação Joaquim Nabuco e Rede de Tecnologia – RJ.

O projeto está constituído em três linhas de ação integradas, considerando a inovação como processo sistemático, organizável e gerenciável: curso via web e presencial modularizado para atender diferentes realidades; serviços presenciais in company de inteligencia gerencial para auxiliar no diagnóstico e proposição de planos de ação para alavancar a capacidade de inovação das firmas, considerando suas contingências; mobilização e construção de ecossistema de conhecimento visando a criar ambiente permanente de aprendizado e troca de experiencias em inovação.

Um dos diferenciais do projeto é sua equipe com experiência na área que trabalhará com três categorias de empresas, segundo o grau de maturidade de seu sistema de gestão da inovação, porte e estruturação de processos e sistema de decisão para inovação incremental e radical:  Start ups tecnológicas / empresas nascentes de base tecnológica, cujo problema é estruturar o negócio, envolto em grandes incertezas, com poucos recursos de pessoal – utilizamos aqui métodos de aprendizado e de identificação de incertezas críticas (Learning Plan) e de gestão de incertezas na empresa e no seu ecossistema, associado a métodos visuais (como Canvas e outros);  Empresas que não possuem sistema estruturado (processo e gestão) de inovação, ou que buscam melhorias no seu sistema. Aqui o foco é a identificação dos elos fracos da cadeia de valor da inovação, para então discutir ações de melhoria (não adianta prescrever sistema de geração de ideias se a empresa não tem bom método para selecionar ideias ou para transformá-las em produtos), e métodos de identificação de oportunidades a partir de análise de produtos concorrentes ou produtos alvo (análise de valor, análise de atributos etc.);   Empresas com sistema maduro, que buscam inovação radical de forma sistemática. Para essas empresas propomos atuação específica, modelada caso a caso. Nas empresas já envolvidas no projeto, temos como temas principais indicadores de inovação, valoração de projetos e de portfólio de P&D e de inovação em geral, gestão de incertezas – identificação, articulação e mitigação de incertezas na empresa e no ecossistema.

Para maiores informações acesse o site do NAGI.